Aluna Rosário é destaque em patinação artística

BLOG

O Rosário não apenas incentiva os estudantes dentro das modalidades trabalhadas no colégio, como enaltece as conquistas esportivas e artísticas realizadas em outras modalidades. Sabemos da importância das atividades físicas, artísticas e culturais para manter a saúde corporal e emocional, além dessas práticas contribuírem diretamente para o desempenho escolar.

Trazemos com muito orgulho, o exemplo da estudante Beatriz Staben Alves (8ºA), que é destaque em patinação.

Neste ano, ela conquistou medalhas no Campeonato Brasileiro e Torneio Nacional de Patinação Artística, em Santos e também no Campeonato Paranaense de Patinação Artística, em Curitiba.

Confira o relato da própria Beatriz sobre a sua vivência como patinadora e as particularidades dessa prática que muitos aderem por lazer, mas poucos conhecem como esporte oficial.

“Minha história com a patinação começou no Natal de 2017, quando pedi patins de presente. Ganhei patins de brinquedo, pois não sabíamos absolutamente nada sobre patinação. Quando os ganhei, já coloquei nos pés e saí patinando em volta da mesa. Meus pais, então, me levavam para patinar nos parques. Até que, em abril de 2018, conhecemos um grupo de pessoas que patinavam no Parque Barigui. Um deles me indicou uma escola de patinação artística. Marcamos uma aula experimental e, ao final da aula, a professora conversou com a minha mãe, disse que eu tinha facilidade, que era para trocar meus patins, comprar um para iniciante e foi assim que comecei a treinar.

Em 2019, participei de uma competição no Rio Grande do Sul, a Copa Mercosul, ficando em 7º Lugar Geral, e 2º lugar no Duo.

No início de 2021, mudei de escola e de treinadora, pois eu queria treinar mais para competições oficiais. Desde então, sou atleta filiada à Federação Paranaense de Patinagem e à Confederação Brasileira de Hóquei e Patinagem.

Neste ano, os treinos iniciaram já na segunda semana de janeiro e, desde então, temos poucos períodos de descanso. Treino mais de 12 horas por semana e, em período de competição, chego a treinar mais de 16 horas numa semana. Para complementar o treino, faço aula de pilates, que me ajuda muito na flexibilidade e na prevenção de lesões.

Em agosto deste ano, participei pela primeira vez do Campeonato Brasileiro – Torneio Nacional em Santos – SP, modalidade Mini Grupo de Show, com o tema Harry Potter. Ficamos em segundo lugar, uma conquista incrível!

Em setembro, participei do Campeonato Paranaense, onde conquistei duas medalhas de ouro e duas de prata.

A patinação exige muitas habilidades, não é só equilíbrio, não. Exige muita força muscular, concentração, flexibilidade e velocidade. Já na parte artística, é preciso saber dançar, interpretar e ainda é preciso entender um pouco de música, porque não pode se perder nos tempos.

Nas competições, tudo é considerado, desde a escolha da música, passando pelo figurino, maquiagem, cabelo, que precisa ser coerente com a coreografia e música e, claro, os elementos técnicos obrigatórios e a parte artística.

Sobre os patins, tem um para cada modalidade. Muda o eixo, o tipo de bota, o tamanho, a aderência e a dureza das rodas, com ou sem freios e vários outros detalhes.

A patinação me trouxe muitas experiências, muitos amigos, aprendi o quanto é importante o trabalho em grupo, o companheirismo, o respeito, a superação e ainda me ajuda muito na concentração. É um esporte complexo, porém quando a gente começa a patinar, nunca mais quer parar.”

(Beatriz Staben Alves – atleta patinadora, estudante Rosário)

Leia também:

#SomosEducaçãoCatólica

A educação deve atuar em favor da vida e das pessoas. E as instituições católicas de educação oferecem uma abordagem diferenciada, em que o aprender

Leia mais »